Vaza áudio assustador de jovem de 19 anos que morreu de Covid-19 no hospital

Um áudio enviado por Leandro Santos Azevedo, 19 anos, vítima da Covid-19 na terça-feira (30), tem intrigado a família. Antes de morrer, Leandro afirmava em um áudio enviado para a namorada dele, Talita Fernandes, ter ouvido os profissionais do Hospital de Campanha no Wet’n Wild, em Salvador, afirmarem que ele seria intubado e que, em seguida, os aparelhos seriam desligados.

A namorada, Talita Fernandes, foi quem recebeu a mensagem, onde logo percebeu que o jovem estava muito assustado. Ela conta que ele havia lhe falado que estava se sentindo melhor, mesmo assim, segundo o áudio, ele seria entubado.

Ele pediu ajuda a namorada:

“Eles vão me entubar todo aqui, véi. Vão desligar o aparelho. […] Venha aqui amanhã”

Talita pergunta a todo tempo para o namorado com ele está se sentindo, e ele continua afirmando que está bem.

Segundo a médica, Leandro fez vomito no local e a saturação dele havia abaixado, por isso se foi necessário entubar o paciente. Pouco tempo depois, ele teve uma parada cardíaca e não resistiu.

Leandro afirmava que escutou os profissionais no local dizerem que seria entubado, porém os aparelhos seriam desligados por 3 dias.

De acordo com a nota divulgada o SMS e a Associação Saúde em Movimento, relataram que não houve nenhum errou, ou negligência no atendimento de Leandro no hospital.

“[Funcionários] ligaram, dizendo que era para a mãe comparecer com a documentação dele. Ela foi lá com a namorada e a assistente social informou que ele foi a óbito, por causa de uma parada cardíaca que ocorreu durante o processo de entubação”, contou Marcos.

Uma divergência, porém, deixou o tio de Leandro intrigado: quando ele foi providenciar a documentação necessária para o sepultamento verificou que a causa da morte foi diagnosticada como: insuficiência respiratória, Covid-19 e pneumonia. “Pelo áudio que ele mandou pra toda família, dizendo que iam intubar ele e que iam desligar o aparelho, a gente está achando a situação muito estranha, tratando-se de um jovem de 19 anos”, ressaltou Marcos.

Procurada pela reportagem do Aratu On, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que, de acordo com o apurado junto à empresa Associação Saúde em Movimento (ASM), responsável pela gestão do hospital, não houve erro ou negligência médica no atendimento a Leandro e que a piora clínica do paciente “evoluiu rápido”, apesar de toda estrutura assistencial.

Leia nota na íntegra:

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que de acordo com o apurado junto à empresa Associação Saúde em Movimento (ASM), gestora do Hospital de Campanha do Wet’n Wild, não houve erro/negligência médica no atendimento ao paciente Leandro Santos Azevedo. Ainda segundo a ASM, devido a complicações do estado clínico do paciente, a equipe médica optou pela intubação do mesmo, uma vez que o tratamento com uso do respirador mecânico não estava surtindo efeito. Infelizmente, a piora clínica evoluiu rápido, apesar da utilização de toda estrutura assistencial disponível no leito de UTI da unidade. Ainda assim, uma equipe técnica da SMS responsável pela fiscalização das metas qualitativas dos atendimentos ofertados à população pelas empesas terceirizadas fará apuração dos fatos.

Fonte: receitasdehoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *