8 coisas que todo casal faz quando está com raiva e que deve ser evitado a todo custo

8 coisas que todo casal faz quando está com raiva e que deve ser evitado a todo custo

Não há nada mais agradável do que viver em harmonia com a pessoa que você ama; no entanto, é algo meio complicado de se querer. Na verdade, é normal que um casal que se ama tenha discordâncias, elas surgem por serem pessoas diferentes em preferências, pensamentos e personalidades, que têm em comum o amor que os une.  O que é grave é o casal se deixar dominar pelo orgulho em meio a um problema conjugal, pois, geralmente, quando estão com raiva e querem ter razão, eles recorrem a “técnicas” que só geram mágoas e os separam ao poucos, fazendo com que o amor que sentem vá se debilitando.

1. Envolver terceiros – Eles brigam e sentem a imensa necessidade de se livrar das emoções acumuladas que os dominam. A opção que vem à mente de todos é recorrer à família, aos amigos e até aos filhos, se já forem adultos. É um erro grave envolver terceiros em um assunto que só diz respeito a dois: você e seu cônjuge. Acontece que, quando envolve a família (por exemplo), você acaba fazendo com que um conflito conjugal se torne uma batalha entre duas partes, e seus familiares vão acabar vendo seu companheiro de vida como um inimigo digno de ser tirado da sua vida, até muito tempo depois de vocês terem resolvido o problema. 2.Violência – É bem provável que, durante um problema conjugal, os ânimos fiquem exaltados e a situação entre os dois mude de palavras para insultos e agressões, com o único objetivo de mostrar que o que sentem e pensam está correto, de acordo com o portal apa (Associação Americana de Psicologia).  É recomendado que, se perceber que o clima vai esquentando e pode ficar “pesado”, você fique em silêncio e se afaste enquanto recupera a calma. Não é o mesmo que ceder terreno, é evitar ferir a pessoa amada e preservar a saúde do relacionamento. 3. Acumular problemas – Algo que acontece com frequência é o casal acumular aborrecimentos e trazê-los à tona quando perdem a paciência. A melhor coisa a fazer é cuidar de um problema de cada vez e exatamente no momento em que surgir. Enquanto estiver fresco, é possível conversar e tentar resolvê-lo com calma, sem criar um problema do nada.

4. Sair de casa enquanto discutem – Fazer isso é o mesmo que dizer ao seu cônjuge que você não gosta de estar no mesmo lugar que ele. Você estará fugindo de um problema e aumentando todos os inconvenientes entre vocês, colocando-os em uma “panela de pressão” que pode explodir nos piores momentos. O que deve ser feito é dar espaço um ao outro para se acalmarem e depois conversarem sobre aquilo que os incomoda exatamente como são: dois adultos que se amam. 5. Dormirem separados – Ir dormir em outra cama ou em uma poltrona é o mesmo que reconhecer que você ainda não está pronto para corrigir as diferenças entre os dois. Se, apesar do inconveniente apresentado, ambos compartilharem a mesma cama, isso tornará possível que a raiva diminua gradualmente até sumir completamente. Além disso, no início vocês podem dar as costas um ao outro, mas, à noite, podem acabar se abraçando e minimizando o conflito passado, até não ter mais importância. 6. Brigar na frente dos outros – Fazer isso é não ter respeito pelo outro e pela vida privada de ambos, nem pelas pessoas à sua volta. É terrível presenciar esse tipo de situação. É melhor esperar até chegarem em casa para conversar com calma e privacidade. 7. Publicar seus problemas conjugais nas redes sociais – O portal Saúde 180 afirma que é algo que acontece com muita frequência hoje em dia. Porém, convido você a se perguntar se os outros realmente precisam saber o que está acontecendo em seu relacionamento afetivo e, com isso, você receber “apoio” de seus agregados. Mantenha seu relacionamento no privado e impeça que aqueles que não querem vê-los felizes se alegrem com seus inconvenientes. 8. Pronunciar a palavra divórcio – Dizer a seu cônjuge: “acho que a melhor coisa para nós é o divórcio” é o ponto limite de que você realmente não se sente capaz de lidar com os conflitos que surgiram. O ponto chave é nem sequer considerar o divórcio como uma opção, ainda mais quando se amam, apesar dos problemas que SEMPRE vão surgir pelo simples fato de vocês serem diferentes. É verdade que há problemas conjugais que justificam um divórcio. Mas um problema gerado pela desorganização do marido ou pelo esquecimento da esposa realmente não é motivo para considerar essa opção. Você sempre encontrará uma maneira de resolver seus problemas de relacionamento. Quanto mais rápido e melhor agirem para resolvê-los, mais benéfico será para ambos como casal.

https://www.familia.com.br/ 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *