“É chocante”: o desabafo de um enfermeiro de SP enviado a Manaus

“Já estou na saúde pública há 22 anos e nunca vi algo desta magnitude”. Enfermeiro de SP enviado a Manaus (AM) integra a primeira equipe de profissionais de saúde que se voluntariaram para reforçar o atendimento dos pacientes com coronavírus em estados em situação dramática.

“É impactante, chocante. Fui enviado a um hospital de grande porte, que tem capacidade para, aproximadamente, 400 leitos. E quase 300 deles estão com pacientes com coronavírus. Mais de 70 leitos estão ocupados em terapia intensiva, aqueles que necessitam de ventilador mecânico, de cuidados multiprofissionais. Toda hora chegam pacientes com coronavírus, pacientes graves.

A equipe está cansada, muitos foram afastados por estar com coronavírus. Eu fiquei muito chocado com o que vi aqui. Já estou na saúde pública há 22 anos e nunca vi algo desta magnitude. Acho que a gente precisa se preparar mais em cima de protocolos, de planos, porque quando começar a chegar, de fato, não sabemos se vamos suportar tudo isso.

Antes de vir para cá, descemos em Brasília e nos reunimos com outros profissionais. Passamos por uma capacitação intensa, com simulações com insuficiência respiratória, parada respiratória, entubação e outros cuidados. Desembarcamos na quinta (16), de manhã, em Manaus. Na sexta (17) já fomos para o plantão e estamos atuando em turnos e dias alternados”.

O depoimento acima é do enfermeiro Carlos Eduardo Vicente, de Sumaré (SP). Ele foi enviado a Manaus (AM) pela Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), do Ministério da Saúde.

Carlos integra a primeira equipe de profissionais de saúde que se voluntariaram para reforçar o atendimento dos pacientes com coronavírus em estados que passam por situação de calamidade por causa da Covid-19.

A equipe da qual Carlos Eduardo faz parte conta com cinco médicos e 12 enfermeiros de várias localidades do país. Antes de embarcar para Manaus, eles participaram de um treinamento no Hospital Universitário de Brasília, nos Distrito Federal. Eles fazem parte dos mais de 8,2 mil profissionais de saúde que se voluntariaram ao SUS para o combate ao coronavírus.

O Amazonas foi o primeiro estado do Brasil a receber o reforço dos profissionais, porque já tem a ocupação de leitos em capacidade máxima devido à pandemia da Covid-19, informou o Ministério da Saúde. A previsão é de que Carlos e a equipe fiquem em Manaus até quinta-feira (23), mas o prazo pode ser prorrogado.

Coronavírus no Amazonas

Apenas nesta segunda-feira (20), o estado do Amazonas registrou mais 116 casos de coronavírus, totalizando 2.160. Foram confirmados 185 mortes até agora.

A maioria dos óbitos é de pacientes de Manaus, com um total de 156 mortes. Outros 44 óbitos notificados seguem em investigação pelo Laboratório Central (Lacen).

Dos 2.160 casos confirmados no Amazonas até esta segunda-feira, 1.772 são de Manaus e 388 do interior do estado. O hospital referência para tratamento de coronavírus no AM é o Delphina Aziz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *