Conselho astrológico para sobreviver a 2020 – Contamos tudo

Professora de astrologia explica o impacto da quarentena no mundo

O ano de 2020 parece que chegou com a tarefa de tirar o mundo inteiro da zona de conforto. Afinal, a pandemia do novo vírus chegou como um furacão e transformou a rotina de praticamente de toda a população mundial. Mas qual será o recado que o universo quer mandar para nós?

“Este período astrológico veio retirar o caráter automático das coisas, além de nos fazer exercitar o pensar e o refletir”, explica a professora de astrologia Vanessa Alvaiz, em entrevista para Ana Maria Digital. “Basicamente, 2020 chegou para nos ensinar a ter menos controle, sairmos do automático, do previsível.”

Ela explica ainda que o ano começou astrologicamente no último dia 21 de março, e não em 1º de janeiro como diz o calendário. E que, por conta da quarentena imposta por muitos governos, estávamos quase todos em nossas casas na primeira segunda-feira do ano (23/03).

“Ironicamente, começamos 2020 com o Sol e a Lua em Áries, que é o signo do ir, do ímpeto e da liderança. Quando tudo pedia movimento, eis que veio uma puxada no freio de mão e, de repente, precisamos parar e mudar de direção. Mas para onde ir e o que fazer com toda aquela energia?”, questiona a astróloga.

UM SOL PARA TODOS

Vanessa ressalta ainda que o ano de 2020 é regido pelo Sol, que pede brilho, exposição e que as pessoas se voltem mais para o ‘eu’. Tanto que o símbolo do Sol na astrologia é um círculo com um ponto no meio, sendo que este representa a nossa individualidade, e o círculo o espaço que ocupamos.

“Só que as pessoas não ocupam o mesmo espaço, umas precisam de mais do que
as outras. Assim, o diâmetro do círculo varia de pessoa para pessoa e não é cada um no seu quadrado, e sim cada um no seu círculo”, ressalta.

Assim, toda essa energia solar será para nosso círculo, nosso meio, nosso eu. “O que estou fazendo, quem são as pessoas que estão no meu círculo; o Sol é o caminho da individualização a ser seguido, como entrar em harmonia consigo mesmo. O impulso para autorrealização. Dá trabalho e dá medo, porém será nosso grande desafio de 2020”, diz.

Segundo Vanessa, entramos em contato com o nosso círculo e com o nosso vazio. “A luz do nosso divino Sol, regente do ano, está para nos ajudar a nos conscientizarmos. Trazer luz para onde estava escuro”, destaca.

HORA DE DESPERTAR

Já quando falamos em numerologia, o 20 é visto como o ‘despertar’, produzindo um novo propósito, novos planos, novas ambições -o chamado à ação por alguma grande causa ou ideal – olha aí mudanças trazidas pela pandemia!

“Assim, podem surgir atrasos e obstáculos ocasionais (o desafio do número 20), mas estes serão vencidos através da paciência e pela fé, pois este é um número altamente espiritual”, explica a astróloga. “Além disso, vale ressalta que o ano tem dois números 20: o 2020.”

Quando falamos no Ano Chinês, o regente é o Rato, que também tem um senso enorme de individualidade. “Assim como o Sol, ele pede para resolvermos primeiro nossos problemas, colocarmos a vida em ordem, se olhar e se ajudar. O amor primeiro é consigo, depois com o próximo. Se não fica impossível amar o outro”, explica.

Créditos: Vivian Ortiz / anamaria.uol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *