0

Interessante! 15 coisas Bizarras que ocorrem com a mulher durante a gravidez, a n° 9 é incrível

Ter um bebê é uma ótima experiência. E quem está esperando a chegada de um filho está ciente das complicações envolvendo a gravidez relacionadas ao estilo de vida. Mas neste artigo, estaremos falando sobre as coisas mais estranhas que podem acontecer com as mamães quando ainda esperam o bebê, que o seu médico pode ter ignorado.

**1. Cólicas – Para algumas mulheres a gravidez soa como ter contínuas e assustadoras cólicas menstruais na pélvis e regiões inferiores. E é especialmente pior quando ao se sentar ou ao espirrar. Andar pode ser uma tarefa um tanto dolorida e desajeitada. A maioria dos obstetras faz um encaminhamento a um fisioterapeuta, que pode recomendar alguns exercícios para melhorar. Exercícios para o assoalho pélvico realmente ajudam a aliviar a dor um pouco. Para finalizar, lembre-se, uma vez que tiver o bebê em seus braços – todos esses problemas desaparecerão como memórias distantes. **2. Um corte para evitar um rasgo … Ué?  Uma episiotomia é um corte realizado na área entre a vagina e o ânus, chamada de períneo, para ampliar o canal de parto para que o bebê possa escorregar mais facilmente e evitar qualquer rasgo desagradável. É feito após uma anestesia local, se não tiver optado por uma epidural. Para evitar rasgar, eles cortam. De qualquer maneira isso soa doloroso. Geralmente a mulher sente dor e desconforto nas primeiras 2 a 3 semanas depois do parto. Os pontos utilizados para fechar a abertura normalmente são absorvidos pelo organismo ou caem naturalmente. Após o parto, a mulher deve ter alguns cuidados com a episiotomia para evitar que infeccione e acelerar a cicatrização. ***3. Você não dorme, você hiberna. Seu corpo precisa de muito descanso quando se está passando por grandes mudanças, crescimento e oscilações hormonais. Assegure-se de ter pelo menos 8 boa horas e sono à noite e um cochilo no dia. Menos sono pode fazer as futuras mamães ficarem mal-humoradas. E enquanto o bebê pode realmente estar dormindo, mesmo quando se está acordada, os níveis de cansaço afetarão a saúde da gestante e do bebê igualmente. Claro, dormir o suficiente é muito difícil se já tiver filhos para cuidar, mas de alguma forma, ele tem que ser gerenciado. ***4. Pés de elefante – Quando se está grávida os pés podem inchar com apenas 10 minutos pendurados, ao se sentar em um banco alto, por exemplo. Por isso é importante colocar os pés também no assento ou em um apoio. A questão envolvida aqui é o hormônio relaxina, que basicamente relaxa as articulações pélvicas e alarga o colo de útero para preparar para o parto. Este hormônio é tão relaxante que acaba por trabalhar sobre todas as suas articulações, especialmente os tornozelos, por isso os pés inchados. **5. Melasma na gravidez – Algumas mulheres grávidas desenvolvem o que é comumente e mal conhecido como a máscara da gravidez (AKA melasma). Alguns hormônios da gravidez, os mesmos responsáveis pelo brilho da pele, se “tornam maus” e correm pela corrente sanguínea dando origem à pele manchada. Como se o seu corpo inchado não fosse suficiente; você também pode ter que lidar com problemas na pele. O parto eventualmente torna a pele clara, voltando ao seu estado original. **6. “Mamãe, eu defequei dentro de você” – A maioria dos bebês esperam para defecar pela primeira vez fora do ventre, mas alguns não o fazem e então acabam ingerindo o excremento, que acaba se alojando também em seus pulmões, podendo gerar problemas respiratório e cardíaco. Isso é conhecido medicamente como Síndrome de Aspiração Meconial (MAS)- o mecônio é o primeiro tombadilho do bebê e tem uma cor enegrecida. O mecônio é armazenado dentro do intestino do bebê e só é liberado depois que o bebê nasce. O problema é que você não pode realmente prevenir o MAS, porém visitas regulares ao médico garantem que seu bebê esteja sendo monitorado e bem cuidado. **7. Quem moveu minha placenta? – Pense na placenta como um apêndice circular que ancora o bebê dentro do ventre, para que ele não comece a se movimentar demais. A placenta também forma uma conexão de sangue entre a mamãe e o bebê e permite que os nutrientes essenciais da corrente sanguínea estejam em transferência. Então, basicamente, não só a placenta é uma coisa boa, como é essencial para a sobrevivência do bebê … Às vezes, embora por razões inexplicáveis, a placenta se separa ou se anexa a lugares que simplesmente não deveria. Pior ainda, às vezes decide ficar no útero mesmo após o parto ou se rompe, causando complicação grave de parto. **8. Uma agulha grande? Em minha barriga? – A amniocentese é um procedimento controverso, mas às vezes inevitável, em que os médicos colocam em sua barriga um “aspirador de pó” disfarçado de agulha para sugar um pouco do fluido em que seu bebê está mergulhado. O fluido é então testado por vários fatores para garantir que seu bebê não é vítima de uma doença ou mutação genética. O procedimento também é feito através de um monitoramento guiado por ecografia que mostra a agulha e o bebê claramente. **9. Tudo parece metal . Sabe aquele sabor amargo que é identificado nos alimentos depois da ingestão de antibióticos, por exemplo? Então, durante a gravidez tudo o que você come ou bebe parece ferro contaminado. Agora imagine tentar comer por dois durante nove meses (mais perto de seis, na verdade, pois no primeiro trimestre precisa-se comer apenas saudavelmente) com esse sabor na boca. Você pode agradecer os níveis selvagens de estrogênio em seu corpo como causadores do gosto metálico. O que você pode fazer para enfrentá-lo é tentar comer alguns alimentos picantes e cítricos, mas apenas se o estômago permitir.***10. Banheiras quentes e intoxicação por álcool – Nada como uma banheira de água quente para acalmar os músculos cansados, mas isso aumenta a temperatura corporal. O problema com o aumento da temperatura corporal enquanto se está grávida é que ela aumenta consequentemente a temperatura do corpo uterino, causando assim toda uma série de problemas relacionados com o feto, incluindo um aumento do risco do filho ter espinha bífida. Uma chuveirada fresca ou morna é mais segura. O mesmo vale para o álcool. Mesmo a menor quantidade da bebida também pode ir direto para o bebê – e o fígado dos bebês são simplesmente incapazes de processar álcool e quebrá-lo em compostos menos nocivos.**11. O açúcar é doce, assim como seu sangue – O diabetes gestacional é uma condição caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue reconhecido pela primeira vez durante a gravidez, ocorrendo em aproximadamente 4% de todas as gestações. Após o parto, os níveis decaem para a normalidade. Isso pode fazer seu bebê pesar mais do que deveria e também pode haver um risco aumentado de desenvolver diabetes mais tarde. Como se tudo isso não bastasse, ainda prevalecem os desejos insaciáveis à espreita.**12. Sentar? Não, muito doloroso! – Mais de 50% das mulheres grávidas parecem desenvolver hemorroidas. Muitas vezes acompanhadas por constipação e gases intestinais. Basicamente hemorroidas resultam do aumento da pressão nas veias do reto ou ânus. A pressão faz com que as veias inchem, tornando-as doloridas, especialmente quando se está sentado. A boa notícia é que, na maioria dos casos, ter o bebê cura as hemorroidas, uma vez que tira a pressão a qual seus órgãos internos e nervos estavam submetidos. A má notícia é que a constipação pode piorá-las, então é importante lembrar de beber muita água e comer alimentos ricos em fibras.**13. O sangue fica estupidamente espesso – Nenhum de nós prestamos muito atenção a esse pequeno detalhe: tipagem sanguínea (A, B, O ou AB). E quando se está grávida este pequeno detalhe pode se transformar em um pesadelo. O fator Rh é um tipo de camada de proteína nas células do sangue – um ‘+’ (positivo) significa que você a tem e um ‘-‘ (negativo) significa que você não a tem. O problema surge quando a mamãe é Rh- e o bebê lá dentro é Rh +. O sangue da gestante não gosta de toda essa proteína no sangue do bebê e começa a produzir anticorpos para combater esse mal, reagindo como se ele fosse um “invasor”. Esse fenômeno é conhecido como “sensibilização” e geralmente não causa problemas numa primeira gravidez, mas pode se agravar nas próximas gestações. **14. Complicações matinais como você nunca imaginaria – Por conta das alterações hormonais, a maioria das grávidas apresenta um quadro de êmese gravídica, ou seja, vômitos durante a gravidez. Aqui falaremos da hiperêmese gravídica, que é o excesso de náuseas e vômitos durante a gestação. Esta complicação se desenvolve em algum momento ainda no primeiro trimestre e é mais grave do que os comuns enjoos matinais. Faz a gestante vomitar qualquer coisa que colocar na boca. E pode acontecer a qualquer hora do dia e da noite, agravada pelos cheiros e odores dos alimentos. Isso é péssimo e precisa de atenção médica urgente. **15. Efeito almofada humana – Nesse período de 9 meses são necessários exames de sangue e vacinas preventivas. Um exame de sangue para isso e um exame de sangue para aquilo, uma vacina para isso e uma vacina para aquilo, haverá também grandes quantidades de multivitaminas e outras substâncias injetáveis que parecerão mais instrumentos de tortura. Sem esquecer de outros exames intravenosos e anestesias.

natiarjona

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *