0

Conheça algumas versões da misteriosa lenda do quadro do menino chorando

Essa história misteriosa intriga à muitos, a lenda ficou conhecida como o “quadro do menino chorando” pintado pelo italiano Giovanni Bragolin, cujo o nome verdadeiro é Bruno Amadio. O italiano nasceu em 1911, e veio a falecer em 1981.

Essa pintura misteriosa se tornou febre nas décadas de 70 e 80. O artista ficou famoso pois retratava uma série de crianças chorando o motivo se deu por ela estar envolta em uma áurea de muitos mistérios macabros.

Os famosos quadros das crianças chorando logo caíram em desgraça quando vários incêndios estranhos aconteciam justamente nas casas onde havia um quadro como este.

O que deixou todos apavorados foi o fato de que durante os incêndios tudo era consumido pelo fogo, exceto o quadro que permanecia intacto, e ninguém encontrou explicação para tal fato, gerando assim a história de maldição em torno da pintura, que logo foram associados ao diabo.

A pintura chegou a ser exposta em uma academia de artes em Veneza, acabou ganhando a imagem e fama de “amaldiçoada”.

Veja algumas das versões mais conhecidas…

Versão inglesa

Segundo os relatos espalhados, o primeiro quadro foi um retrato que o artista fez do próprio filho.

O garotinho tinha muito medo de fogo e para retratá-lo chorando Giovanni fazia uma espécie de tortura com seu filho utilizando palitos de fósforos próximo ao rosto do menino.

Segundo conta na versão inglesa dessa lenda o garotinho morreu semanas depois do seu retrato ser finalizado em um quadro e incrivelmente, o artista Giovanni morreu em trágico incêndio em sua casa em 1981.

Essa obra com um retrato da expressão torturante passou a ser reproduzida em série na Inglaterra, a lenda acabou chegando a se consolidar.

Vários incêndios registrados no país foram atribuídos à maldição do quadro, que era um dos poucos itens encontrados intactos após os incêndios.

Soube-se que o serviço de bombeiros a nível nacional havia sido alvo centenas de telefonemas e visitas dos proprietários de quadros que pensavam que as obras estavam malditas, ou que foram feitos de um material inflamável perigoso.

O chefe de bombeiros Alan Wilkinson, constatou pessoalmente que havia registrado 50 incêndios em casas que possuíam “quadros de crianças chorando” em 1973.

No entanto ele se recusou fazer qualquer conexão com o sobrenatural, ao comprovar que a maioria dos incêndios havia sido causado por negligencia humana.

Finalmente os quadros foram queimados em um caricaturesco evento, em uma fogueira no dia de Bonfire Night.

Variações da lenda misteriosa

Outra versão também muito interessantes sobre a lenda, conta que o artista estava passando por dificuldades e não conseguia vender suas obras, decidiu então fazer um pacto com o diabo.

Só que ele não ofereceu sua alma ao demônio e sim as almas de todos aqueles que comprassem suas pinturas.

Outra versão ainda mais macabra conta que as pinturas tinham várias mensagens subliminares.

O pintor inclusive teria confessado que algumas crianças retratadas por ele estavam mortas por isso apareceriam com as pupilas dilatadas.

Eram crianças reais que haviam sido abduzidas para serem entregues ao demônio.

Existe ainda uma histórias de que Bragolin teria se arrependido do pacto com o demônio e pedido a todos que tivessem obras suas se desfizessem delas, que as queimassem.

A Lendária Entrevista ao Fantástico

Como parte da célebre lenda urbana que circula pelo Brasil há décadas, o pintor teria dado uma entrevista ao programa de televisão Fantástico da rede Globo.

Na ocasião Bruno Amadio se mostraria arrependido e teria pedido aos proprietários dos quadros que se desfizessem deles.

De fato, o referido programa de televisão realmente fez matérias sobre os quadros e o que estava acontecendo na Inglaterra em meados da década de 1980.

No entanto, não há nenhum registro de que tal entrevista tenha realmente sido levada a cabo, nos levando a crer que esta nunca aconteceu.

Outra delas é que depois de fugir da Itália para a Espanha no período da guerra, o cara teria usado como “modelos” crianças que viviam em um orfanato local que também acabou sendo destruído por um incêndio.

Assista ao vídeo:

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *