0

7 formas de acabar naturalmente com a bactéria H. PYLORE que produz acidez e dor no estômago!


Você sabia que mais de 50% da população mundial tem a bactéria Helicobacter pylori (a pronúncia corrente é agapilori) no organismo e a maior parte nem sequer sabe disso?

O pior é que, mesmo aqueles que sabem que têm a bactéria, por desinformação, não sabem o que devem comer para melhorar.


É que esse problema, como todos os outros, pode ser aliviado com a alimentação. Vamos explicar melhor: existem certos alimentos que podem ajudar a tratar esta condição e deixar seu estômago livre desta bactéria. Aqui está uma pequena lista de alimentos que ajudam a combater da H. pylori:

1. Brócolis/ repolho/ couve
É prática comum o tratamento da Helicobacter pylori com antibióticos, mas isso pode causar estragos no sistema digestivo e imunológico, além de outros problemas. Assim, alternativas naturais são mais do que bem­-vindas. Por exemplo, estudos recentes indicam que os brócolis são ricos em sulforafano, um composto que pode prevenir o crescimento excessivo da bactéria Helicobacter pylori.

Os resultados positivos ocorreram em estudos feitos tanto em animais como em humanos. O sulforafano podem ser encontrado também em outros vegetais crucíferos, como repolho e couve. Isso pode explicar o fato de o suco de couve ou repolho frescos ser um excelente remédio para úlcera e gastrite.

2. Cúrcuma (açafrão-da terra)
Esta especiaria de origem indiana é riquíssima em propriedades medicinais. Por isso nos últimos anos a cúrcuma tem sido cada vez mais objeto de estudos. Entre seus inúmeros poderes, está o de combater problemas digestivos, como barriga estufada, mal-estar estomacal, náuseas e gases.

A ação benéfica da cúrcuma no estômago pode ser explicada pelo fato de ela estimular a produção de sucos gástricos, o que vai ajudar a mucosa estomacal, inibindo assim a ação da Helicobacter pylori. Os estudiosos recomendam o consumo desta especiaria diariamente, mas de forma moderada.

3. Própolis verde
Este tratamento é excelente. Basta colocar 20 gotas de própolis verde (sem álcool) em 200mL de água. Tome duas vezes por dia, a primeira delas em jejum. Faça isso por 30 dias.

4. Cranberry
O cranberry é famoso por ser um excelente remédio natural contra as infecções do trato urinário. Ele é muito eficientes quando se trata de eliminar as bactérias e infecções do aparelho urinário, por isso não surpreende sua atuação também contra a Helicobacter pylori. Uma pesquisa mostrou o suco de cranberry tem ação antibiótica contra esta bactéria e pode eliminá-la do sistema digestivo.

5. Azeite de oliva
O azeite extravirgem de oliva é uma arma poderosa contra a Helicobacter pylori. Graças à grande quantidade de antioxidantes, ele tem propriedades antibacterianas potentes. Ele contém fenóis que permanecem estáveis e inalteradoa por horas no estômago, mesmo sob a influência dos ácidos estomacais.

A quantidade exata de óleo de oliva para ser usado contra bactérias não é conhecida, mas os especialistas acreditam que o consumo regular de pequenas doses já é suficiente.

6. Chá verde
O chá verde não é apenas benéfico para a saúde geral. Ele também possui um efeito poderoso contra as bactérias. Estudos têm mostrado que o chá verde produz uma redução significativa da H. pylori nas pessoas que o consomem diariamente.
As pesquisas dizem que essa ação é porque este chá contém níveis elevados de polifenóis que inibem a H. pylori.

7. Gengibre
Quem lê o Cura pela Natureza sabe que o gengibre tem várias propriedades medicinais, e muitas delas beneficiam o aparelho digestivo. Recomenda-se o consumo de gengibre para combater a acidez estomacal, náuseas, dores estomacais, úlceras, entre outros problemas digestivos.

O gengibre também possui um alto poder bactericida. E é por isso que terapeutas naturalistas acreditam que ele pode contribuir para eliminar a Helicobacter pyroli.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.



LEIA TAMBÉM->
loading...

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *