1

Foi aprovada oficialmente a vacina que pode curar o diabetes de forma definitiva?…Saiba tudo Aqui!


Mônica Amaral Lenzi ( farmacêutica )

Ontem começou a circular nas redes sociais no Brasil, um vídeo sensacionalista, sobre uma vacina que cura o diabetes tipo 1. Muitas pessoas estão me marcando nestas postagens do facebook, perguntando e pedindo minha opinião sobre o assunto.

Mas quem sou eu para poder falar sobre este assunto?

Sou Monica Lenzi, sou farmacêutica formada a mais de 28 anos. Sou Educadora em Diabetes qualificada pela IDF – Federação Internacional do Diabetes, SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes. Tenho 10 anos de experiência no atendimento a pessoas com diabetes e seus cuidadores.

Quando comecei a pesquisar e publicar artigos e vídeos sobre diabetes, no intuito de melhorar a vida de quem tem diabetes, através da Educação.

Atualmente rodo o Brasil dando palestras sobre diabetes, para os meus colegas farmacêuticos, pois eles são os profissionais de saúde mais próximo da população. Estando meus colegas qualificados, eles me ajudam a cumprir minha missão de vida, que é: “Melhorar a qualidade de vida do maior número de pessoas com diabetes possível”.

Este é o motivo pelo qual estou escrevendo este artigo. Me sinto na obrigação de esclarecer alguns pontos, que estão por trás deste post no facebook e contar a verdade sobre a vacina que está sendo estudada.

A verdade sobre a vacina:
A vacina realmente está em pesquisa no laboratório chefiado pela Dra. Denise Faustman, mas ainda não tem data prevista para estar sendo comercializada.

Existe uma pesquisa de cura do diabetes tipo 1, baseada na vacina BCG. Esta pesquisa é financiada pela Fundação Família Iacocca. Lee Iacocca, foi um grande executivo da indústria automobilística americana e perdeu sua esposa devido as complicações do diabetes.

Sua fundação vem suportando a pesquisa da Dra. Denise Faustman, chefe do laboratório de Imunobiologia do Hospital Geral de Massachusetts , que está envolvida na descoberta e desenvolvimento de novos tratamentos para diabetes tipo 1 e outras doenças auto-imunes, incluindo a doença de Crohn, lúpus, esclerodermia, artrite reumatóide, síndrome de Sjögren e esclerose múltipla.

Sua pesquisa se baseia em descobrir como a vacina BCG desencadeia o sistema imunológico para produzir uma proteína que mata as células T anormais que impedem a capacidade do pâncreas para produzir insulina.

A BCG é usada para pacientes com tuberculose há mais de 100 anos. Alguns especialistas médicos também usam esse tipo de vacina para tratar o câncer de bexiga, o que só prova que a vacina é realmente segura. Agora, sua efetividade será testada para pacientes diabéticos.

Em 2016, o FDA, órgão americano que regulamenta as pesquisas e uso de novas terapias medicamentosas, liberou os testes da vacina em humanos com diabetes e anunciou o uso da vacina em 150 pacientes diabéticos tipo 1.. Esta notícia foi amplamente divulgada naquela ocasião.

Pacientes que sofrem de diabetes tipo 1 tem um problema na produção de insulina suficiente no corpo porque o sistema imunológico destrói a célula beta, que são responsáveis pela produção e secreção de insulina. Quando o corpo tem uma quantidade excessiva de células T, ocorrerá um problema nas ilhotas pancreáticas; Onde a insulina é produzida. O papel principal da vacina é remover as células T.

A substância conhecida como Fator de Necrose Tumoral (TNF) destrói as células T no sistema. Os diabéticos que fizeram uso da vacina BCG duas vezes por mês, tiveram um aumento na quantidade de TNF no corpo, apresentaram diminuição que na quantidade de células T perigosas e além disso, alguns dos pacientes começaram a produzir sua própria insulina.

Estão programados novos testes que serão conduzidos em pessoas com idade de 18 e 60 anos. Pacientes que participam do ensaio receberão aplicações com a vacina BCG duas vezes em um período de um mês e, em seguida, uma vez por ano dentro do período de quatro anos.

A diretora do Laboratório de Imunobiologia do Hospital Geral de Massachusetts em Boston, Dr. Denise Faustman, diz que seu objetivo é uma resposta terapêutica duradoura. O teste não é apenas para a prevenção, mas para fazer um tratamento antecipado para aqueles que estão sofrendo na fase avançada da doença.

Site falsos tem direcionado pessoas bem intencionadas em busca de informações sobre diabetes a dietas restritivas e inadequadas, que podem colocar sua saúde em risco.

Dietas que restringem o consumo de carboidratos e liberam o consumo de proteínas, elevam o risco de hipoglicemias em pessoas com diabetes.

É importante que você fale com seu médico antes de reduzir significativamente sua ingestão de carboidratos. Isto é especialmente importante se você estiver em uso de medicações hipoglicemiantes (auxiliam na diminuição dos níveis de glicose no sangue), tais como a insulinas, hipoglicemiantes Orais tais como: sulfonilureias ou glinidas, medicamentos que estimulam o pâncreas a produzir e secretar mais insulina.

Pacientes diabéticos que já apresentam lesões renais, também devem ter muito cuidado com dietas milagrosas. O consumo elevado de proteínas pode danificar ainda mais os rins.

Pacientes com diabetes só devem seguir um tipo de dieta orientada por profissional habilitado (nutricionista especializado em diabetes ou endocrinologista), dietas milagrosas, com restrições importantes de um determinado grupo de alimentos são extremamente perigosas, pois podem gerar complicações graves e até fatais, como a cetoacidose diabética.

Dietas restritivas de carboidratos (Low Carb) são proibidas para quem tem Diabetes tipo 1, pois é o carboidratos que, na medida certa, fornecer energia para o corpo. Quando as necessidades calóricas não estão sendo supridas pela ingestão de carboidratos, o corpo passa a utilizar as células de gordura com esta finalidade.

O produto da queima de gordura são os corpos cetônicos, que quando em excesso na corrente sanguínea, levam a um desequilíbrio bioquímico do organismo, levando a cetoacidose.

A cetoacidose diabética é uma das conseqüências mais graves do Diabetes Mellitus. Ocorre em diabéticos tipo 1 e muito raramente no tipo 2, levando o paciente a óbito se não tratada.

Na verdade, a melhor alimentação para a pessoa com diabetes é aquela que contempla todos os grupos alimentares (carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais), em quantidades apropriadas e associada hábitos de vida saudáveis.

Procure um nutricionista, pois este é o profissional que pode elaborar uma dieta personalizada e especifica para você.

Tratamento Individualizado para Diabetes
O tratamento para diabetes é individualizado, o que funciona com seu amigo ou vizinho, pode não funcionar com você. A melhor maneira de você conseguir dominar o controle do diabetes é através do conhecimento.

Você deve conhecer seu corpo e suas condições de saúde. Conhecer os grupos alimentares e como eles impactam seus níveis de glicose no sangue, vão te permitir a fazer boas escolhas alimentares.

FONTE: http://www.diabetesevoce.com.br



LEIA TAMBÉM->
loading...

admin

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *