0

Mãe que jogou bebê no lixo diz que se arrependeu e caso comove cidade; Saiba o que aconteceu…

A Polícia Civil localizou a mãe que abandonou a filha recém-nascida em um cesto de lixo no município de São Miguel do Tapuio, a 227 km de Teresina. O delegado Anchieta Nery, responsável pela investigação, conta que a mãe apresenta sinais de depressão e disse à polícia que havia se arrependido de ter jogado a filha dentro de um balde e amarrado na sacola.

A mãe- que não teve a identidade revelada- está em liberdade e ainda não prestou depoimento formal. Familiares também foram localizados. O bebê – do sexo feminino- foi abandonado nesta segunda-feira (13), na praça central da cidade de São Miguel do Tapuoio, e localizado por garis.

“Ela diz que enfrentava um quadro depressivo que se agravou por conta do parto e diz ainda que se arrependeu imediatamente, mas quando chegou na praça, viu que a equipe de limpeza ja havia encontrado a filha e como havia uma aglomeração de pessoas ficou com medo”, disse o delegado.

A mãe informou à Polícia Civil que abandonou a filha logo após o parto, que não foi realizado em uma unidade de saúde.

“No momento, tivemos apenas uma conversa informal com essa mãe e estamos colhendo informações, apurando se algum familiar podia ter evitado isso. Ela não é totalmente incapaz e pode responder por abandono, pois uma pessoa só é considerada inimputável, se assim a Justiça determinar. Ela aparenta um grave problema de saúde e o cárcere poderia piorar a situação. A gente avalia que não há risco de fuga”, explica Nery.

O bebê continua em observação no hospital da cidade. O delegado acrescenta que está sendo avaliado a possibilidade da criança ficar sob responsabilidade de algum parente da mãe.

COMOÇÃO

O delegado Anchieta Nery ressalta que o caso causou bastante comoção na cidade e que ficou surpreso com a reação da população que procurou o Conselho Tutelar para adotar o recém-nascido.

“Várias pessoas demonstraram interesse em cuidar do bebê e adotá-lo. Já estávamos vendo com o Judiciário a situação de abrigamento do bebê após a alta médica, mas agora estamos trabalhando com a possibilidade de algum familiar direto assumir essa responsabilidades. Isso só será feito após entrevista do Conselho Tutelar e Assistência Social que poderão atestar se o ambiente que o bebê será levado é seguro”, acrescenta

O bebê nasceu de nove meses e está aparentemente saudável, apenas abaixo do peso. A menina permanece 24 horas sob os cuidados do Conselho Tutelar.



LEIA TAMBÉM->
loading...

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *