0

Grande tempestade solar atinge a Terra nessa semana…

A maior tempestade solar desde 2005 deve atingir a Terra essa semana com forte radiação eletromagnética. A afirmação foi feita primeiramente pela companhia aérea Delta Airlines e acompanhada por cientistas e estudiosos.

A empresa tem alterado seus voos nas regiões polares para rotas o mais ao sul possível das vias aéreas convencionais, após ter percebido cargas cada vez maiores de radiação solar atingirem a Terra naquela região.

No caso dos pólos a radiação provoca as belas imagens da Aurora Boreal, mas o receio maior é que a tempestade solar possa interferir com a comunciação no planeta, danificar satélites e causar problemas mais sérios com as redes de energia do hemisfério norte.

O evento começou no último domingo e foi provocado por uma erupção bastante específica que ocorreu próxima do centro do Sol, informou Doug Biesecker, físico do NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration Space Weather Prediction Center).

“A ERUPÇÃO EM SI NÃO É ALGO ESPETACULAR, MAS NESTE CASO UMA FORTE EJEÇÃO DE MASSA CORONAL VIAJA A UMA MÉDIA DE 6,5 MILHÕES DE QUILÔMETROS POR HORA” NA NOSSA DIREÇÃO – CONCLUI.”

Uma Ejeção de Massa Coronal (EMC) é expulsão de material da coroa solar. O que se ejeta do Sol com o fenômeno é basicamente matéria e plasma, primariamente elétrons e prótons, com pequenas quantidades de materiais mais pesados tais como hélio, oxigênio e ferro.

O fenômeno libera fortes cargas eletromagnéticas e tão maior seja a EMC, obviamente maior é o seu potencial para o estrago. A ejeção se iniciou no último Domingo e os cientistas esperam que ela continue a nos atingir até o final da noite de hoje, no máximo até a manhã de quinta-feira (26).

A razão para isso é que todo o volume de espaço entre nós e Júpiter, por exemplo, está repleto de prótons e nós não podemos “simplesmente nos livrarmos deles assim tão fácil”, como diz Biesecker.

A NOAA classifica dois níveis mais altos de radiação em tempestades eletromagnéticas como essa: severa e crítica. Essa é a mais forte deste uma outra ocorrida em maio de 2005, onde a massa de radiação (na forma de prótons) viajou a mais de 149 milhões de quilômetros por hora em direção à Terra.

A maioria dos cientistas está atenta, porém observam o fenômeno de modo não alarmado, sem preocupações além da conta.

É um importante fenômeno, de grande relevância para a ciência, mas para os exagerados que esperam um encontro com um xamã maia ou para as gazelas apavoradas com o bronzeamento natural e iPhones pifados, fiquem todos tranquilos. Tudo ficará bem.

VEJA O VÍDEO:

Com informações da Agência de Notícias Sul Asiática e da NASA.



LEIA TAMBÉM->
loading...

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *