Adolescente Admitiu que Estuprou e Torturou o Bebê de um Ano e Quatro Meses

A mãe da criança e o namorado, um adolescente de 17 anos, foram apresentados na manhã de hoje, na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente.
A mãe do bebê foi autuada em flagrante por tortura e estupro de vulnerável na forma omissa, segundo a delegada Juliana Tuma, da Depca.

Um adolescente de 17 anos, apreendido ontem (12), admitiu que estuprou e torturou o bebê de um ano e quatro meses, filho da namorada dele, de 22, no bairro Mauazinho, zona leste de Manaus. Segundo informações da delegada Juliana Tuma, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), o jovem confessou o crime e justificou que tinha a intenção de maltratar a criança.

“Ele confirma que mordeu a parte íntima da criança, introduziu o dedo na região anal e a sufocava para que ela não gritasse muito. Em determinados momentos, ele disse que a criança chorava e muito alto e que não entende como a mãe não acordou com choro”, afirma. “O adolescente justificou que estava sob efeito de entorpecentes, mas que ele lembra com riqueza de detalhes o que aconteceu na madrugada de sábado para domingo”.

Para a equipe de reportagem, o adolescente disse que não lembra muito bem do ocorrido. “Só lembro que mordi, mas eu brincava com ele. Eu não tinha ciúme, ele tava dormindo e eu comecei a morder. Não sei o que me deu”, afirmou.

Conforme a delegada, o adolescente foi apreendido em flagrante e autuado pelos crimes de tortura e estupro de vulnerável e será encaminhado para Delegacia Especializada em Atos Infracionais (Deai). Já a mãe do bebê também foi autuada em flagrante pelos mesmos crimes, mas na forma omissa.

“A mãe disse que não viu nada, ouviu o choro, mas não queria levantar porque estava com sono. Ela foi omissa, viu que a criança estava sofrendo alguma coisa e mesmo assim não levantou para socorrer”, comentou Juliana Tuma. “Temos relatos que a criança caiu na terça-feira, batido a cabeça e a mãe não procurou atendimento médico. Ela também não foi colaborativa com a equipe da Depca, não quis dar os dados sobre o adolescente”.

A delegada ressaltou que falta ouvir testemunhas que conviviam com o casal, que tinha somente dois meses de relacionamento. “Temos a informação que o adolescente estava com ciúme porque os amigos da namorada fizeram uma festa surpresa para ela e ele fez isso para descontar no bebê o ciúme e a raiva que ele estava sentido da mãe da criança”, comentou.

Juliana informou ainda que, conforme relatos médicos, na manhã desta segunda-feira (13), o bebê pode amputar o pênis. “A criança voltou a ser internada e está sob os cuidados do conselho tutelar, para que não volte para a família materna”, disse a delegada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*