Você se Lembra? dos 45 Atores e Profissionais de TV que Faleceram Durante as Novelas?

mortos_capa
Jardel Filho / Umberto Magnani / Sérgio Cardoso

A morte repentina de um ator que está atuando em uma novela marca a todos: desde os profissionais que conviviam com ele por trás das câmeras, até os telespectadores acostumados com a sua presença diária no vídeo. Na semana que passou, perdemos Umberto Magnani, que atuava em “Velho Chico“. Abaixo, listo mais 45 atores, diretores e roteiristas de novelas, minisséries e séries brasileiras que morreram vítimas de doença, acidentes, suicídios e até um assassinato. Minha fonte é o “Almanaque da Telenovela Brasileira” (atualizado), de minha autoria, e as fotos são de divulgação.

1. Na época em que participava da novela “Sangue e areia” (Globo), o ator Amilton Fernandes sofreu um acidente de automóvel, em 29/01/1968. Ele ficou hospitalizado 69 dias, passando por seis cirurgias. Amilton veio a falecer em 07/04/1968, em decorrência das sequelas causadas pelo acidente.

2. Um acidente automobilístico também vitimou o jovem ator Celso Marques, em 16/09/1968, enquanto ele atuava em “A gata de vison” (Globo). Sua morte ocorreu dois dias antes do ator completar 26 anos.

3. O garoto Noel Marcos, filho do casal de atores Dionísio Azevedo e Flora Geny, faleceu no dia 01/11/1969, quando estrelava sua primeira novela, “Seu único pecado” (Record), dirigida pelo pai. O triste fato fez interromper a produção. O menino foi vítima de um atropelamento enquanto passeava com sua bicicleta nova no bairro do Sumaré, em São Paulo, onde residia.

4. A atriz Glauce Rocha, uma das protagonistas da novela “Hospital” (Tupi), morreu de parada cardíaca no decorrer da trama, em 12/10/1971. Faltavam apenas cinco capítulos para a atriz concluir as gravações de sua personagem, Helena.

5. O ator Sérgio Cardoso morreu de ataque cardíaco, aos 47 anos de idade, no dia 18/08/1972, quando faltavam 28 capítulos para terminar a novela “O primeiro amor” (Globo). Seu papel passou a ser interpretado por Leonardo Villar. A substituição do personagem foi feita com todo o elenco reunido no estúdio. Sérgio Cardoso aparecia saindo por uma porta em sua última aparição na novela. Depois, com a cena congelada no vídeo, um texto lido pelo ator Paulo José explicava o que acontecera e relembrava a trajetória do ator. Por fim, batia-se à porta e, quando a cena recomeçava, entrava Leonardo Villar, sendo recebido pelo elenco.

mortos1
Amilton Fernandes / Glauce Rocha / Sérgio Cardoso

6. “O Conde Zebra” (Tupi) foi o último trabalho do ator Otelo Zeloni, cujo falecimento interrompeu a novela. No dia 28/12/1973, a trama foi retirada do ar em função do estado de saúde do ator, que interpretava o protagonista. Um tumor cerebral, cujos primeiros sintomas haviam se manifestado trinta dias antes, o levou na manhã seguinte, em 29/12/1973.

7. A atriz Rachel Martins, que vivia Zazá em “A barba azul” (Tupi), faleceu durante a novela, em 02/12/1974. A atriz não foi substituída. As vezes da personagem foram feitas por outra: Olga, de Wilma de Aguiar.

8. Em março de 1975, o seriado “A grande família” (a primeira versão) foi suspenso, por causa da morte de seu principal roteirista, Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha, vítima de câncer. Paulo Pontes chegou a substituí-lo como redator principal, mas terminou por se achar sem condições psicológicas para continuar a tarefa.

9. Em 1976, pouco tempo depois de concluir sua participação na novela “Xeque-mate” (Tupi), o ator Paulo Padilha cometeu suicídio, enforcando-se.

10. O ator Zanoni Ferrite, que era anunciado nas chamadas de estreia do remake “O direito de nascer” (Tupi) como o personagem Dom Jorge Luiz, faleceu num desastre automobilístico em julho de 1978, sendo substituído na novela por Adriano Reys.

11. O ator Oscar Felipe faleceu em 1980, enquanto participava da novela “A deusa vencida” (Band). Foi substituído na trama por Felipe Levy.

12. O jovem ator Osmar de Matos foi escalado para “As três Marias” (Globo), na qual viveria o personagem Cleber. Entretanto, ele foi vítima de um acidente automobilístico (tinha 22 anos) numa rodovia em São Paulo, em outubro de 1980, antes da novela estrear. Osmar chegou a gravar apenas os primeiros capítulos. Com seu falecimento, o personagem deixou de existir.

13. O ator Rafael de Carvalho faleceu em 03/05/1981, enquanto a novela “Rosa baiana” (Bandeirantes) estava sendo rodada. O autor, Lauro César Muniz, descartou a hipótese de matar o personagem ou substituir o ator. Assim sendo, ele fez com que o personagem Edmundo Lua Nova abandonasse sua família, deixando a trama.

14. Márcia de Windsor faleceu em agosto de 1982, durante a última semana de exibição da novela “Ninho da serpente” (Bandeirantes), na qual atuava. Faltava gravar as últimas cenas de sua personagem.

15. “Sol de verão” (Globo) culminou com a morte de Jardel Filho, que vivia Heitor, um dos protagonistas. O ator morreu de ataque cardíaco em 19/02/1983. Manoel Carlos, o autor, sentiu-se impossibilitado de terminar a novela como havia planejado. Lauro César Muniz foi então acionado e escreveu os 17 capítulos finais, precipitando seu término. A saída encontrada para explicar o sumiço do personagem foi uma viagem. No primeiro capítulo sem Jardel Filho, o elenco, emocionado, fez uma homenagem ao ator.

16. “Eu prometo” (Globo) foi o último trabalho de Janete Clair, que faleceu de câncer no intestino, aos 58 anos de idade, no dia 16/11/1983, tendo escrito a novela até o capítulo 60. Glória Perez, terminou de escrevê-la após sua morte, com supervisão de texto de Dias Gomes, marido de Janete.

mortos2
Jardel Filho / Janete Clair / Yara Amaral

17. O ator Ricardo Zambelli faleceu em um acidente de moto durante o Carnaval de 1985, poucos dias depois da estreia da novela “Um sonho a mais“, em que viveria o personagem Felipe, papel que deixou de existir por conta da morte do ator. Ele era marido da atriz Zaira Zambelli e este seria seu primeiro personagem fixo em uma novela.

18. Em “A gata comeu” (Globo, 1985) a atriz que foi escalada e começou a gravar como a personagem Dona Biloca, era Ema D’Ávila. Porém, uma semana antes da estreia, ela faleceu. A produção da novela escalou uma nova atriz para a personagem: Norma Geraldy.

19. A atriz Yara Amaral faleceu pouco mais de um mês depois de terminar sua participação na novela “Fera radical” (Globo). Ela foi vítima da tragédia do barco Bateau Mouche IV, que afundou na baía de Guanabara no réveillon de 1989.

20. “Bebê a bordo” (Globo) foi o último trabalho da atriz Dina Sfat, falecida em março de 1989, vítima de câncer, um mês depois de concluir sua participação na novela.

21. Por motivo de doença, Lauro Corona deixou a novela “Vida nova” (Globo) em sua reta final. Sua última cena, a despedida de seu personagem, o português Manoel Vitor, foi uma das mais comoventes sequências da trama. Nela, o personagem parte para Portugal, numa noite de chuva, ao som de um poema de Fernando Pessoa, declamado em off pelo ator. Lauro Corona veio a falecer em julho de 1989, aos 32 anos de idade, vítima de complicações causadas pela Aids.

22. O ator Lutero Luiz faleceu durante a novela “O sexo dos anjos” (Globo), em 20/02/1990. Seu personagem, o jardineiro Bastião, não foi substituído, simplesmente saiu de cena.

mortos3
Dina Sfat / Lauro Corona / Lutero Luiz

23. Chiquinho Brandão havia gravado cerca de vinte capítulos da minissérie “O sorriso do lagarto” (Globo), quando morreu num acidente automobilístico, em 04/06/1991. Para ocupar o seu lugar, os autores providenciaram um primo do personagem, que foi vivido por Stepan Nercessian.

24. O entrecho de maior repercussão da novela “De corpo e alma” (Globo) não era ficção, mas realidade. Na noite do dia 28/12/1992 a jovem atriz Daniela Perez – filha da autora da trama, Glória Perez – foi violentamente assassinada pelo seu colega de elenco, o ator Guilherme de Pádua, e a mulher dele, Paula Tomaz. Na novela, os dois viviam um par romântico, Yasmin e Bira. Glória Perez conduziu a novela até o fim, mesmo abalada pelo crime. A saída de Yasmin da trama foi explicada com uma viagem. Já o personagem Bira simplesmente deixou de existir.

25. A atriz Dayse Tenório foi escalada para viver Alice, governanta na casa da família Assunção em “Mulheres de Areia“. Mas faleceu em janeiro de 1993 – antes da novela estrear – vítima de um acidente automobilístico, aos 33 anos de idade. Algumas cenas haviam sido gravadas mas não foram substituídas. A personagem Alice apareceu nos primeiros capítulos da novela e a governanta logo foi substituída por outra, com outro nome.

26. O ator Armando Bógus faleceu em 02/05/1993, vítima de leucemia, pouco tempo depois de concluir uma participação na minissérie “Sex appeal” (Globo). As cenas com o ator foram ao ar depois que ele já havia falecido, pois a minissérie estreou em 01/06/1993.

mortos4
Daniela Perez / Armando Bógus / Cláudia Magno

27. “O mapa da mina” (Globo) foi o último trabalho de Cassiano Gabus Mendes que faleceu em 18/08/1993, antes da novela ser finalizada. O autor havia deixado todos os capítulos já escritos, e o último foi ao ar em 04/09/1993. A novela terminou com uma homenagem: logo depois da última cena, Lima Duarte (numa participação) despediu-se do amigo com um emocionado depoimento pessoal, em nome de toda a equipe da novela e da própria emissora.

28. Felipe Pinheiro faleceu em 01/11/1993, em conseqüência de problemas cardio-respiratórios, sem ter concluído sua participação em “Olho no olho” (Globo). A solução encontrada para a saída do personagem da trama foi uma viagem: na novela, Felipe vivia um ator, que foi viajar para tentar a vida em Los Angeles.

29. Cláudia Magno entrou para o elenco de “Sonho meu” (Globo) quando a novela já havia iniciado, mas não chegou a concluí-la. A atriz deixou a trama adoentada e faleceu em 05/01/1994, aos 35 anos de idade, de insuficiência respiratória aguda (em decorrência de Aids).

30. “A idade da loba” (Bandeirantes) foi o último trabalho do ator Luiz Carlos Arutin, que faleceu em 08/01/1996, alguns dias antes da novela terminar. Sua participação na trama já havia sido gravada. O ator morreu asfixiado num incêndio em seu apartamento, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

31. Em “Xica da Silva” (Manchete), o ator Alexandre Lipiani morreu antes do fim da novela. Ele faleceu em decorrência de um acidente automobilístico quando as gravações ainda não haviam sido encerradas. Sua última aparição foi no capítulo exibido em 28/07/1997, que teve uma homenagem da produção da novela.

32. Thales Pan Chacon faleceu um mês após o término da novela “Os ossos do barão” (SBT), em 02/10/1997, aos 41 anos, de parada respiratória em decorrência de complicações relacionadas ao vírus da Aids.

mortos5
Luiz Carlos Arutin / Alexandre Lipiani / Thales Pan Chacon

33. O diretor Paulo Ubiratan faleceu de ataque cardíaco, aos 51 anos de idade, em abril de 1998, enquanto concluía seu trabalho como diretor artístico da novela “Por amor” (Globo), e iniciava a nova atração das sete horas, “Meu bem querer“, em fase de pré-produção. No último capítulo de “Meu bem querer”, o elenco prestou uma homenagem.

34. O diretor Walter Avancini, já debilitado, iniciou seu trabalho na novela “A Padroeira” (Globo) mas não chegou a ver sua obra finalizada: por problemas de saúde foi afastado da produção em julho de 2001, vindo a falecer em 26 de setembro daquele ano.

35. O ator Luiz de Lima, que fazia uma pequena participação em “Esperança” (Globo), como pai do português Murruga (Nuno Lopes), faleceu no decorrer da novela, em 2003. Saiu de cena o pai do personagem e entrou a mãe, interpretada por Beatriz Segall.

36. O ator Rogério Cardoso, o Seu Flor da série “A grande família” (Globo), faleceu no dia 24/07/2003, aos 66 anos de idade, vítima de um ataque cardíaco fulminante. Em agosto de 2005, foi a vez de Francisco Milani partir. Ele havia sido chamado para cobrir a ausência de Rogério Cardoso, interpretando Juvenal, o Tio Mala, que aparecia esporadicamente no seriado.

37. Leonor Bassères, coautora de Gilberto Braga em “Celebridade” (Globo), faleceu no dia 29/01/2004, vítima de câncer. Ela foi parceira constante de Gilberto em suas novelas e minisséries desde o início dos anos 1980. Com a morte de Leonor, o novelista Ricardo Linhares foi convidado por Gilberto para contribuir nos rumos de sua história.

38. Com problemas de saúde, Mirian Pires teve de deixar a novela “Senhora do destino” (Globo). Na ficção, sua personagem, Clementina, era hospitalizada. No, lugar da atriz, entrou Cristina Mullins, escalada para viver a filha de Dona Clementina. Mirian Pires morreu em 07/09/2004, aos 77 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos juntamente com as complicações causadas pelo tempo de permanência no CTI, em função de ter contraído uma toxoplasmose. A atriz foi homenageada na novela, no capítulo do lançamento do livro de receitas escrito pela personagem na trama.

mortos6
Walter Avancini / Rogério Cardoso / Mírian Pires

39. A atriz Ariclê Perez faleceu em 26/03/2006, dois dias depois de terminar a minissérie “JK” (Globo), onde interpretava a mãe do protagonista. Ela havia finalizado sua participação na minissérie na semana anterior. A atriz, que tinha 62 anos, caiu do décimo andar de seu prédio, em São Paulo. Na época, especulou-se que tenha sido suicídio.

40. Gianfrancesco Guarnieri faleceu em 22/07/2006, treze dias após o término da novela “Belíssima” (Globo), seu último trabalho. O ator já estava bastante debilitado quando iniciou as gravações. Seu personagem, nas poucas vezes em que apareceu na trama, estava sempre sentado, e tinha poucas falas, para não exigir demais do ator. Gianfrancesco morreu aos 71 anos em função de complicações geradas por insuficiência renal crônica.

41. Nair Bello já havia gravado suas primeiras cenas em “Pé na jaca” (Globo, 2006/2007). Mas a atriz sofreu uma parada cardíaca e entrou em coma, uma semana antes da novela estrear. Nair ficou hospitalizada e veio a falecer cinco meses depois. Na novela, a atriz foi substituída por Arlete Salles e todas as suas cenas foram refeitas.

42. O ator Luiz Carlos Tourinho, que interpretava o personagem Nezinho na novela “Desejo proibido” (Globo), faleceu em 21/01/2008, aos 43 anos, vítima de uma parada cardio-respiratória provocada por um aneurisma cerebral.

mortos7
Nair Bello / Luiz Carlos Tourinho / Marly Bueno

43. Em 19/01/2012, faleceu a atriz Yedda do Rêgo Alves, do elenco da novela “Aquele beijo” (Globo). Ela tinha 83 anos e estava internada com câncer. O capítulo exibido em 03/02/2012 prestou uma homenagem à atriz.

44. A atriz Marly Bueno faleceu em 12/04/2012, enquanto era vista na minissérie “Rei Davi” (Record). Tinha 78 anos e estava hospitalizada para uma cirurgia no intestino. Ela já havia concluído suas gravações na minissérie, que terminou pouco tempo depois.

45. Marília Pêra faleceu em 05/12/2015, aos 72 anos, vítima de câncer. Ela era vista na série “Pé na Cova“, que já estava totalmente gravada e finalizada e continuou sendo exibida mesmo depois de sua morte.

Já Umberto Magnani, que atuava em “Velho Chico“, como o Padre Romão, morreu em 27/04/2016, aos 75 anos, dois dias depois de sofrer um acidente vascular encefálico hemorrágico durante uma gravação da novela. O ator Carlos Vereza foi chamado para viver um outro padre que fará as vezes do personagem de Magnani.

Gostou da Matéria?…Comente e Compartilhe

Um Comentário para: “Você se Lembra? dos 45 Atores e Profissionais de TV que Faleceram Durante as Novelas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*