INCRÍVEL: Mulher que foi Acusada de Matar Sobrinho Esmagado; Perde 377 Quilos

Nos últimos cinco anos, a vida de Mayra Rosales (do Texas) não foi nada fácil. Em 2008, além de ter de conviver com um peso impressionante de 467 quilos, ela foi acusada de matar o seu próprio sobrinho, Eliseo, de dois anos de idade, que supostamente teria sido esmagado acidentalmente pelo sua imensa estrutura. Dois fardos bastante difíceis de carregar.

No entanto, logo após a acusação, ela decidiu que levaria os métodos de emagrecimento a sério, começando uma longa jornada para perder o máximo de peso possível e enfrentar as acusações da justiça. Felizmente, com o tempo, a vida de Mayra começou a mudar, sendo que ela foi perdendo peso com sucesso e foi absolvida do crime que, realmente, não tinha cometido.

Absolvição

Em janeiro de 2012, durante o seu julgamento, Mayra declarou que assumiu a culpa pela morte do sobrinho, mas quem havia matado o menino foi a sua própria irmã, a mãe da criança.
Rosales testemunhou que viu a irmã usar uma escova para bater em Eliseo repetidamente em seus braços, pernas e cabeça. Os legistas também já haviam constatado que o menino havia morrido por espancamento e não sufocado.

Ela disse que não queria que seus outros sobrinhos ficassem sem mãe se ela fosse presa e inventou a história do esmagamento, achando que não tinha nada a perder, pois estava à beira da morte.
“Eu pensei que estava morrendo de qualquer forma, então eu decidi que ia assumir que eu tinha feito aquilo para proteger minha irmã, porque eu a amo. Houve abuso por parte dela. Ela gritou com ele e o chutou. Naquela noite, Júnior não queria comer, ela ficou frustrada e bateu-lhe na cabeça com uma escova de cabelo”, disse ela ao programa.

81816030122191412

Segundo Rosales, ela resolveu falar a verdade, porque estava testemunhando que a sua irmã estava novamente usando de violência com os outros filhos. Depois de ser declarada inocente, quem cumpre a pena de 15 anos de cadeia é a sua irmã, Jaime Rosales.

Vida nova

A trajetória dolorosa de Mayra se transformou em um documentário, que será exibido pelo canal TLC, no dia 4 de dezembro nos Estados Unidos, ainda sem data definida no Brasil. O programa conta sobre a sua vida desde sua absolvição, mostrando a sua surpreendente perda de peso, além dos procedimentos cirúrgicos pelo qual precisou passar para se livrar do excesso de pele.

8181603012219158

Além disso, o documentário também mostra como a obesidade se originou na vida de Mayra depois que seu pai abandonou a família, detalhando como ela passou de uma jovem esbelta para uma adulta obesa mórbida à beira da morte. “Quando eu era criança, era muito magra. Comecei a ganhar peso depois que meu pai saiu de casa. Eu senti dor. Eu senti um vazio”, disse ela em um teaser do programa.
Durante grande parte de seu período com quase meia tonelada, Mayra passava os dias presa a uma cama, pois não podia andar mais devido ao tanto de gordura que tinha no corpo e grandes dobras de pele. Nesta época, ela contava com a ajuda do marido para lavá-la e não deixar que os tecidos da epiderme ficassem infectados.
Em uma das cenas do teaser, o documentário mostra os bombeiros quebrando a parede da sua casa e os paramédicos transportando-a em um colchão para uma ambulância reforçada que iria levá-la ao hospital, enquanto ela admite na narração que esta é sua última chance, porque, se ela não fizesse nada, ela ia morrer.

8181603012219180

Hoje, Mayra é uma nova (e bem mais leve) mulher. Ela conta no documentário que deve a perda de peso graças a uma combinação de cirurgia estética, terapia, reabilitação e a uma completa reeducação alimentar.
Agora ela pesa cerca de 90 quilos e exibiu a sua figura mais enxuta em uma foto em seu Facebook (que já foi desativado, pois ela quer manter o suspense antes da estreia do programa) ao lado de seu primo.
Apesar de ter emagrecido cerca de 377 quilos até agora, Mayra ainda quer perder mais e pretende passar por uma cirurgia bariátrica para eliminar de vez (e nunca mais recuperar) os quilos extras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*